LEROY MERLIN LANÇA SERVIÇO DE ALUGUEL DE FERRAMENTAS

A Loja da Leroy Merlin localizada no Shopping Lar Center, em São Paulo, criou um serviço de locação de ferramentas e equipamentos que visa ajudar os clientes em período de pandemia.O serviço já está disponível na Loja e permite a locação de mais de 30 itens como extensões, escadas, furadeiras, serra circular, marteles, lavadoras de alta pressão, extratora de tecido, scanner de parede entre outros.O novo serviço foi idealizado para hobbystas e adpetos do ‘Faça Você Mesmo’. “Oferecemos aos clientes máquinas e equipamentos que eles normalmente utilizam pouco, não tem espaço para guardar e não desejam investir altos valores neste momento. Mas também atende aquele Cliente que tem dúvidas sobre adquiri um equipamento, pois ele pode testá-lo, conhecê-lo em funcionamento antes de resolver comprá-lo”, informa João Alberto de Souza, gerente de vendas da Leroy Merlin Lar Center.Como alugar uma ferramenta ou equipamentoPara fazer a locação é necessário ter em mãos um documento com foto, CPF ou CNPJ e cartão de crédito com limite para garantia dos 30% do valor dos itens, que será estornado no ato da devolução.O custo da locação gira em torno de 5% do valor do item e pode ser feita através do WhatsApp (11) 94282-5130 ou na Loja.Segundo o gerente, a taxa de frete para entrega e retirada dos itens é calculada de acordo com o tamanho dos equipamentos solicitados ou se o cliente preferir pode retirar e entregar os itens alugados na loja de acordo com a data e horário mencionados no contrato de locação.O período de locação dos equipamentos pode ser diário, semanal ou quinzenal e renovados de acordo com a necessidade do cliente que pode locar até três itens de única vez.Economia compartilhadaO compartilhamento de produtos e serviços tem ganhado cada vez mais adeptos. De acordo com uma pesquisa realizada em 2019 pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) em todas as capitais brasileiras, 79% dos entrevistados acreditam que o compartilhamento de bens torna a vida mais fácil e funcional e 68% acreditam que em dois anos estejam participando efetivamente do consumo colaborativo.O compartilhamento de produtos e serviços, além de economizar, gera menos resíduos ao meio ambiente.“Às vezes, o que o cliente precisa é de um furo na parede para pendurar um quadro ou uma cortina e não da furadeira. Pensar no benefício do produto é a nova forma de nos relacionarmos com o ato de consumo, que nos garante benefícios econômicos, sociais e ambientais para todos”, enfatiza.Fonte: Sebrae Link: https://sebraeinteligenciasetorial.com.br/produtos/noticias-de-impacto/leroy-merlin-lanca-servico-de-aluguel-de-ferramentas/5ee8bae1ca02c519009166c5 Data da matéria: 16 de junho de 2020
Read more...

As estratégias da construção civil para driblar a crise

A construção civil não parou. Se no começo da pandemia havia um clima de desconfiança em relação ao futuro do setor, hoje, apenas alguns meses depois, já é possível apontar algumas estratégias primordiais para enfrentar a crise.

Pesquisas feitas pela Prospecta Obras mostraram que pequenos e médios empreendimentos não foram interrompidos pela pandemia, mostrando como os serviços e a indústria estavam mais preparados que o setor comercial. A utilização de equipamentos de proteção e segurança, além do uso de máscaras, permitiu dar continuidade às obras. Agora, home centers traçam novas abordagens físicas para garantir a proteção dos consumidores, com utilização de álcool em gel e limite de visitantes nas lojas, e também digitais, procurando estar onde o cliente está.

Com mais de 10 anos de experiência na área, consigo apontar algumas estratégias importantes para que consigamos deixar essa crise para trás, com menores danos. Veja cinco que aponto como sendo primordiais.

#1. Informatizar: Essa talvez seja a necessidade mais urgente do setor. Nenhum empresário irá investir sem ter certeza – ou uma grande possibilidade – de retorno. Por meio de tecnologias, como o Big Data, é possível identificar em quais regiões o mercado de construção civil está mais aquecido, quais as demandas de construtoras, empreiteiras e pequenos empreendimentos, entre outras informações. Assim, o lojista pode preparar seu estoque para atender os consumidores, movimentando toda a cadeia do segmento, da indústria à prestação de serviços.

#2. Inovar: Pensar em novas maneiras de oferecer serviços e produtos é essencial quando as necessidades e o perfil de consumidor estão em constante mudança. Um exemplo é como a construtora MRV vai investir R$ 1 milhão na criação do primeiro centro de pesquisa e desenvolvimento em construção civil do Brasil, em Belo Horizonte (MG). A ideia é fomentar o desenvolvimento de tecnologias, processos, métodos construtivos e testes de materiais que resultarão em produtos de mais qualidade. Além disso, grandes construtoras apostaram em feirões de venda de móveis online, algo que vinha se tornando uma tendência no setor. E aí, vale tudo para encantar o comprador: fotos, vídeos e até a realidade virtual.

#3. Digitalizar: A renda de muitas famílias brasileiras foi diretamente afetada pela pandemia, portanto os gastos estão contados. Com mais tempo em casa, aquela parede que precisa de pintura ou a lâmpada queimada começam a ficar mais evidentes. E, por vezes, o reparo é inevitável. Entretanto, todo mundo faz um orçamento, compara preços, antes de fazer uma obra, e o comércio precisa saber atender esses requisitos.

#4. Expandir: Essa é uma consequência da digitalização. Se antes, o comércio de bairro vendia apenas para as redondezas, hoje ele pode fazer uma forte concorrência a grandes centros de materiais de construção. Se não puder competir em relação aos preços, que seja pela facilidade de entrega do produto à domicílio ou melhores condições de pagamento.

#5. Conectar: Todos sabemos o quanto as empresas precisam vender para sobreviver. Mas são tempos difíceis para todos, inclusive para os consumidores. A comunicação não deve estar alinhada somente às estratégias comerciais, é preciso conhecer seu cliente e dialogar com ele. Você pode ajudá-lo com o que ele precisa? Se ainda não, é preciso se adaptar. Os negócios, cada vez mais, se darão em rede. Saber se conectar é fundamental.

Fonte: Porto agente
Link: https://portogente.com.br/noticias/opiniao/112545-as-estrategias-da-construcao-civil-para-driblar-a-crise
Data: 19 de Junho de 2020

Read more...

Trabalhadores mudam rotina durante pandemia

Em uma obra civil de Votorantim (SP), uma enfermeira está percorrendo o canteiro de obras fazendo medição da temperatura nos funcionários.⠀ ⠀ A construção civil é uma das áreas com atividades permitidas durante a quarentena, determinada pelo governo estadual. Porém, em uma obra de Votorantim (SP) os hábitos mudaram entre os trabalhadores.⠀ ⠀ Os funcionários, por exemplo, estão lavando a mão com água e sabão logo que chegam, e também passando álcool em gel. Além disso, a temperatura de todos é medida no período da manhã.⠀ ⠀ Durante a tarde, uma enfermeira percorre o canteiro de obras repetindo a medição da temperatura e também orientando sobre a doença. As medidas de prevenção também são reforçadas.⠀ ⠀ No local, os trabalhadores com mais de 60 anos ou com doenças crônicas foram afastados, ou entraram em férias antecipadas por serem do grupo de risco do Covid 19.⠀ ⠀ "É um momento crítico com muita gente que ficou desempregada. Antes eu tava muito preocupado né, antes [do Covid-19] chegar aqui no Brasil, mas a empresa está tomando todas as medidas e a gente está conseguindo seguir com a jornada", diz o pedreiro Sérgio Lopes da Silva.⠀ ⠀ Caso algum funcionário apresente sintomas, ele é encaminhado para um médico. A iniciativa é uma parceria das construtoras com o Serviço Social da Construção Civil (Seconci).⠀ ⠀ Segundo a gerente regional do Seconci, Ester Gonçalves, o trabalho dos funcionários não será afetado.⠀ "A área é muito aberta e existe uma segurança para trabalhar, fazendo todos os cuidados de higienização e segurança, percebemos que o rendimento continua igual".⠀ ⠀ O Seconci acompanha quatro obras na região e, ao todo, 400 trabalhadores seguem em atividade com os cuidados necessários.⠀ ⠀ #sindicato#sindicalismo#sintracombauru#afsys_sindical#informacao#trabalhadores
Read more...

Coronavírus faz Loft criar fundo para trabalhadores

Iniciativa se dá em parceria com a Decorati para o auxílio financeiro de trabalhadores que estão em quarentena por causa da covid-19⠀⠀ ⠀⠀ A startup paulistana Loft anunciou a criação de fundo de cerca de 5 milhões de reas para auxiliar na renda de trabalhadores do setor de construção civil que estão em casa por conta da crise do novo coronavírus. A iniciativa se dá em parceria com a Decorati, startup que foi comprada recentemente pela Loft, conforme reportado com exclusividade pela EXAME.⠀⠀ ⠀⠀ O fundo será criado pela própria companhia em parceria com clientes que aceitarem a interrupção das obras feitas em seus imóveis, mas que antecipem os pagamentos. Cerca de 350 clientes da companhia receberão desconto de 1% ao mês sobre os valores aportados, inclusive durante os meses em que as obras estiverem interrompidas.⠀⠀ ⠀⠀ A expectativa é de 12.000 trabalhadores que atuam nos projetos de reforma já iniciados ou que teriam obras feitas nas próximas semanas sejam beneficiados. “No final da obra, o que o cliente vai economizar com o desconto resultará num ganho superior a 300% do CDI”, diz Marcus Grigoletto, cofundador da Loft e diretor de engenharia e arquitetura da Loft e da Decorati.⠀⠀ ⠀⠀ Fonte da Matéria: https://n8qhg.app.goo.gl/ZsNj ⠀⠀ ⠀ #sindicato#sindicalismo#informacao#siticoncirp#afsys_sindical#trabalhadores#associe-se
Read more...

Fórum de defesa do direto do trabalho repudia MP 927

O Fórum Interinstitucional de Defesa do Direito do Trabalho e da Previdência Social (FIDS) divulgou nota, nesta quarta-feira (3), repudiando o parecer da Medida Provisória (MP) nº 927/2020, de autoria do deputado Celso Maldaner (MDB/SC), publicado nesta terça-feira (2). De acordo com o FIDS, integrado por entidades do mundo do trabalho, movimento social, organizações de trabalhadores, professores e pesquisadores, a MP que deve ser votada nesta quarta, manteve itens prejudiciais aos trabalhadores e às trabalhadoras, já afetados pelas altas taxas de desemprego, diminuição da renda e pelos demais impactos socioeconômicos da pandemia do novo coronavírus.Ainda há ajustes que precisam ser feitos, diz a nota que cita riscos aos direitos dos trabalhadores, como a redução pela metade das verbas indenizatórias, a fragilização do sistema de representação sindical, entre outros.A MP 927, que trata de alterações trabalhistas para enfrentamento do estado de calamidade pública e emergência de saúde pública decorrente da pandemia do novo coronavírus, autoriza redução de jornada e de salários, suspensão dos contratos de trabalho, entre outros itens.Confira aqui a íntegra da nota do FIDS e se junte a luta contra a perda de direitos pressionando seus deputados.Fonte :http://www.mundosindical.com.br/Noticias/46584,Forum-de-defesa-do-direito-do-trabalho-repudia-parecer-da-MP-927#sindicato #sindicalismo #informacao #siticoncirp #afsys_sindical
Read more...